Construindo um sonho - Etapas.

O princípio de tudo:

Já contamos a vocês, em uma postagem Ilhabela - SP. Onde tudo começou, como foi que este sonho nasceu em nós. De lá para cá,  tanta coisa aconteceu que decidimos fazer esta página só  para mostrar cada etapa a vocês:

1ª Etapa: pesquisa e mais pesquisa:

A primeira etapa é sempre a pesquisa. Somos curiosos, creio que não saímos da fase dos "porquês"! Queríamos uma casa sobre rodas, mas, para entendermos melhor compramos revistas, visitamos blogs, sites, compramos livros,  fomos a um sem número de lojas e revendedoras de motorhomes e afins! Visitamos campings, conversamos com proprietários, pedimos para entrar em suas casas, bombardeamos essas gentis pessoas com perguntas...

Livros, sites, visitas...Tudo fora lido,  perguntado, refeito várias vezes, repetidas vezes, inúmeras vezes.... mostramos um pouquinho dessas pesquisas na Web na postagem Ideias para construir um truck home, também  na postagem Imagine e em Porque um caminhão casa. Nessas postagens, vocês verão como desejamos construir nosso TH e as razões para essas escolhas que faremos.


2ª Etapa:  Conversar com os parentes e amigos:

A segunda etapa foi conversar com os amigos e a família sobre nossa ideia. Repetidas vezes contamos e perguntamos o que eles achavam. Esta etapa, na verdade, não finda. Ela permanece em nosso cronograma até a conclusão da construção. Isto porque nossas certezas são enganosas ( Será?). Achamos importante duvidar de nossas certezas e ouvir os mais experientes e mesmo aqueles que possuem um olhar novo e despretensioso.

Isto fez e faz toda a diferença na execução do nosso projeto. Quando precisamos falar de como é, porque, e onde comprar, fazer ou buscar uma peça, mão de obra ou informação, a ajuda dos amigos é fundamental, pois reafirmamos os nossos propósitos, organizamos as nossas ideias e ouvimos as opiniões e sugestões daqueles que nos querem bem.  Na postagem Sonho que se sonha junto nós mostramos isto e em várias outras mais: Em Feliz ano novo e Teoria da conspiração ;

3ª Etapa: Compramos a tração!

Entre nossos amigos, os mais participativos foram - e são - Postigo, Solano, Larico, Paulista, Silvana, Cafuringa e Marco. Todos eles com uma paixão em comum: Carros traçados!! Foi o Paulista quem chegou com a novidade: "Achei uma tração para o seu caminhão"!! Ainda não tínhamos o caminhão, mas ele nos disse que encontrar o caminhão seria fácil, ao contrário da tração. Era um achado! Pronto. Era o comecinho do sonho!

Da esquerda para a direita: Paulista, Solano, Pasin e Postigo.

4ª Etapa: Compramos o caminhão!

Passados alguns meses, eis que toca o celular. Era o Luiz Henrique que dizia: "Achei um 1113", está em Ariquemes, 200 km daqui! Bate coração! Então, marcamos para o dia seguinte e lá fomos nós. Chegando lá, vimos um azulão boiadeiro: É ele!! Namoramos cada detalhe. Eu olhei a carroceria  ( tinha até uma plantinha lá) e falei: "Está vendo uma casinha?". Tô" - respondeu Pasin!



5ª Etapa: Criar um Blog;

Nossos amigos são fantásticos: Prestativos e interessados em nos ajudar, eles tem sido de grande valia nessa construção do nosso sonho. Mas, era preciso obter mais informações, desejávamos conhecer mais pessoas que pudessem colaborar conosco. Em Rondônia não há empresas desse segmento e, por isso, eu tive a ideia de fazer este blog. Quanto mais gente soubesse e opinasse, melhor. Mas, não seria justo só receber informações, era preciso fornecê-las também. Uma troca justa, não acham?

Sempre achei o nome CAMINHEIRO muito poético. E, me pareceu apropriado para um caminhão. Como seremos três a caminhar pelos caminhos do mundo,  o nome "Caminheiros-ro" foi o escolhido. Sim, somos caminheiros de Rondônia. Da amazônia para o mundo! É verdade que as pessoas confundem com CAMINHONEIRO, mas tudo bem, o Caminheiro é um caminhão, tecnicamente somos "caminhoneiros" também. 

 6ª Etapa: Os ajustes;

Então, o 1113 já era nosso. O Paulista arrumou a tração, o Larico a caixa de redução, o Luiz encontrou o caminhão e o Sr Aparecido, vulgo Cidão, arrumou as rodas-livres e a direção. Parecia poesia: "tudo métrica e rima"!!

Antes

Depois

7ª Etapa: Traze-lo para casa;

Ajustes feitos, era hora de trazer nossa "criança" pra  casa. O batizamos de "Caminheiro", pois  trata-se de um caminhão nascido para caminhar pelo mundo conosco. Foi numa manhã de junho que nosso amigo Beethovem  nos deu uma carona para irmos buscar nosso sonho azul. Estava com o motor tinindo, rodas livres, tração e tomado banho. Era a primeira vez que andaríamos nele. Curtimos seu barulho e sentimos a alegria de vivenciar aquele momento!

Contamos mais sobre esta emoção na postagem Ele Chegou!

Beethoven e Pasin




8ª Etapa: A espera da documentação;


Enquanto aguardava a documentação, nosso Caminheiro ficou hospedado na Náutica Paraíso, em Candeias do Jamari. Lá, nossa amiga e caminhoneira Silvana e o outro amigo, também caminhoneiro Paulista, cuidaram dele. E ele retribuiu bonitinho. Contamos esta história na postagem Hóspede prestativo..
Pense num caminhão robusto!
9ª Etapa: A transformação;

Enfim, chegou o dia de nosso Caminheiro mudar de hospedagem. Da Náutica Paraíso ele foi, primeiro  tirar a carroceria e deixar de ser "boiadeiro". Depois, foi para a o René para dar um trato no esqueleto ( chassi) e fazer a troca de cabine simples para leito.  Contamos esta história em detalhes na postagem  Venha ver quanta beleza!





Assim, o levamos para a oficina do Marco para turbinar o motor, trocar a cabine e, no René, dar um trato no chassi...


Marco e Tita



Conversando com o Samir, ele nos disse que arrumaria a cabine leito. Alguns meses se passaram e, novamente o celular toca com boas novas: Ela havia sido encontrada!! Bom, deveria ser pintada. Escolhemos a cor, negociamos e, depois de três meses ela chegou até nós!


 Chassi no René,

Samih, Pasin e a cabine leito.

Como estava o chassi.

 Como ficou.



10ª Etapa: Reforma da caixa de transferência e reforma do motor:

Pois bem, depois que passou pelo "body lifting", o caminhão está com o chassi novinho e a cabine leito. Agora, nosso amigo Marco estava refazendo a caixa de transferência e depois veríamos como vamos fazer  com o motor. Assim, três anos após comprarmos as trações, nosso caminhão estava com a caixa de marcha  novinha, as engrenagens cintilantes e o motor retificado. Ficou "stander".


Sabe aquela alegria que sentimos quando vemos os dentinhos de um filho nascendo? Então... rsrs
Pasin disse que parece uma joia. E não é?

Agora, o coração de nosso sonho, pulsa! Está forte e vigoroso, pronto para viver nossas caminhadas. O motor está NOVINHO em folha. "Stander". Foi pintado e colocado no devido lugar. Já podemos ver este sonho em seu esplendor, com um coração pulsante e os nossos corações batendo, no mesmo ritmo, de tanta felicidade!












A etapa mais emocionante e animada da construção do TH, até agora, foi quando o novo motor funcionou pela primeira vez. Marcamos o dia, convidamos os amigos e esperamos ele funcionar. Quando escutamos o seu barulho, foi como ver alguém querido apos uma cirurgia de transplante de coração, sabe?  Eu brinquei que o nosso caminheiro havia "nascido de novo" e os "tios" Solano e Postigo tinham que estar presentes!



11ª Etapa: Os pneus;

Enquanto o motor ia sendo cuidadosamente reformado, outras coisas iam acontecendo concomitantemente: Estudamos sobre os pneus a serem colocados no nosso caminheiro e decidimos que o um 1200x20 era o mais indicado. Devido à uso que faremos, a altura que desejamos e principalmente pela facilidade de compra-lo na maioria dos países mundo à fora. Quem nos ajudou muito nesta decisão foram os viajantes que por nós passaram em seus truck homes ou motorhomes. Destaque, mais uma vez para os franceses Sab e sab.

Mas, quem nos ajudou mesmo foi o Sr Marco, que nos indicou um vendedor que nos pediu um preço justo e que coube direitinho nos "pezinhos" do nosso caminheiro e no nosso bolso! Contamos sobre parte da reforma do motor e sobre os pneus na postagem Tudo a seu tempo..


12ª Etapa: Parte elétrica e as "coisinhas miúdas":

 Algumas etapas foram concomitantes, como já falei antes. Mas, eu as separei mais por uma questão "didática", por assim dizer, para melhor entendimento. Agora, chegou aquele momento das coisinhas miúdas, dos detalhes. O engraçado é que cada "pecinha" que chega, cada pequenina peça, como uma borracha de vedação, tampinhas de iluminação do painel,  cada fio, mangueira, são festejados por nós. É um trabalho de ajuste fino, que não se vê facilmente, mas de extrema importância.









13ª Etapa: A tapeçaria;

A tapeçaria está em fase de acabamento. O responsável por tornar a cabine bonita e confortável é o Jorge. Este é outro amigo que tem contribuído para realização do nosso sonho. As vezes, jorge carrega consigo algum ajudante. Desta vez foi o Buratti que veio montar o teto com o tio. Esta família é boa de pesca e, por vezes, nos permitem acompanha-los em seus passeios.  Mostramos o passeio que fizemos com eles na postagem Lago da HUE de Samuel - Candeias do Jamari - RO.

Ainda faltam alguns ajustes na tapeçaria, que precisarão ser feitos quando o TH voltar para Porto Velho com a casinha pronta.





14ª Etapa: As molas;

Com o caminhão pronto, chegou o momento de leva-lo ao posto de molas. A parte de tapeçaria da cabine vai ser finalizada depois. Afinal, teremos que fazer a passagem da cabine para a home. Por isso, levamos o nosso Caminheiro ao posto de molas do senhor Hernandes. De lá, fizemos a "primeira viagem" com ele até a oficina do senhor Marcos para os últimos ajustes e o "teste drive".







15ª Etapa: A construção do "habitáculo";

Esta foi a etapa mais difícil de ser decidida. Primeiro porque não poderia ser em Porto Velho, já que não há empresas deste segmento por aqui. Segundo porque já havíamos conversado com Victor, que conhecemos no Orkut, e o nosso ajuste de ideias pareceu muito afinado, contamos este encontro nas postagem Visconde de Mauá e Penedo.. Ocorre que Victor saiu da empresa onde trabalhava e partiu para um mestrado e, posteriormente, um doutorado...


Visitamos, assim, outra empresa que nos recebeu muito bem. Saímos de lá com um pré-projeto e muitas ideias na cabeça. Mas, infelizmente, não alcançamos o orçamento! Esta história vocês podem conferir na postagem Porto Belo - Santa Catarina. e na postagem Caminhando na direção certa.

Mas, a vida tem coisas que não estão em nosso controle. Assim, depois de um sustão que tomamos com a saúde, pensamos em desistir do Caminheiro... Foi tenso! Contudo, como a vida é surpreendente, reencontramos Victor, fizemos umas pesquisas de mercado e  decidimos que sim: Vamos construir a casinha com ele! Confira esta história na postagem  Serra do Rio do Rastro e Serra do Rastro da Serpente..

Em julho, colocamos nosso Caminheiro em uma prancha e o enviamos à Pirassununga. Lá estando, conversamos com os projetistas, acertamos os detalhes, fizemos um pré-projeto e retornamos para casa. Agora, era aguardar o início da construção. Veja em detalhes na postagem Pirassununga: Agora foi!.




Depois que voltamos para casa, aguardamos as novidades da construção do habitáculo. Foram dias de muita ansiedade. Fomos pescar e daí recebemos as imagens. Ai, que delícia! Dá para acreditar? Chegamos aqui e, agora, estamos bem pertinho da conclusão desta construção! Veja mais fotos nesta publicação  Lago da UHE de Samuel - Candeias do Jamari - Ro.






Chegamos no momento curioso e interessante da construção da home: testar o sub-chassi de torção livre. Veja a performance do sub-chassi e fotos no detalhe da angulação. Veja, também, as pequenas modificações feitas no projeto inicial  na postagem Cobija - Bolívia.



E, finalmente, a primeira parte desta 15ª etapa de construção do nosso TH está pronta. A parte externa da home foi  concluída com sucesso e estamos muito felizes! Notem que ainda faltam alguns detalhes como as portas dos compartimentos inferiores e a pintura e arte final das paredes externas. Mas, nosso caminhão já pode ser chamado de truckhome! Nós estamos absolutamente apaixonados e ansiosos para vê-lo materializado, em nossas mãos!






16ª Etapa: A documentação:

Esta foi uma etapa realmente decisiva na certeza de que manteríamos o projeto do Caminhão casa. Ocorre que, no Brasil, há uma burocracia tão grande e louca, que temíamos não conseguirmos documentar o Caminheiro como "motor casa". Ouvimos de tudo: Que teríamos que colocar "airbags"  no caminhão, que não seria possível documentá-lo assim por conta da idade e especificações .... Ah... deixa pra lá...

Quando conhecemos o Marchiori Sasso, em uma comunidade do "face", ficamos entusiasmados. Marcamos de ter com ele uma conversa e, em dezembro de 2014 nos encontramos. Levamos os documentos do Caminheiro e pedimos que ele nos falasse da possibilidade ou não de documenta-lo como motor-casa. A resposta foi: "Sim. Pode trazer ele pra cá, para iniciarmos o processo". Bom,  não era assim, tão simples... Precisávamos que ele já tivesse a estrutura da "home" feita. Daí, entraram o Victor e o Sr Ribeiro, da Ribeiro Trailler.

Quando a estrutura ficou pronta, enviamos o caminheiro em uma prancha, de Pirassununga para Itu. Lá, ele teve que passar por inspeções e uma parafernália que eu nem sei explicar. Coisas de "DETRAN", já viram, né? Por fim, já em 14 de dezembro de 2015, recebemos a notícia com a imagem: "MOTOR CASA". Aleluia!! Assim, nos preparamos para estar em Itu ainda em 2015, e lava-lo para a Ribeiro Trailler novamente.





E, assim se deu: No dia 28 de dezembro, fomos para Pirassununga. Lá, Victor nos aguardava para ir conosco até Itu. Em Itu, pegamos o Caminheiro  e  fizemos a nossa primeira viagem com ele DOCUMENTADO.  Pela primeira vez, nós viajamos com o nosso MOTOR CASA! Foi o melhor presente de natal dos últimos anos. Nós estamos muito alegres!

Em janeiro de 2016, estivemos novamente a visitar nosso Caminheiro. Desta vez, foi possível fotografar a rampa aberta e funcionando com um guincho, Combinamos um meio de faze-la ficar em 90º e ser usada como uma sacada. Eu já me vi à beira mar, duas cadeiras, uma mesinha e a máquina fotográfica... Ai, ai...








17ª Etapa: A parte interna da Home:

Ah.... Mas, esta etapa  é a que eu, particularmente, mais estou gostando. Sabem como é: Beleza tem que vir de dentro! Em março de 2016 os móveis foram cortados e passaram pelo ajuste de dimensões, antes de ganharem acabamento. Victor nos enviou as fotos dos testes. Pequenas mudanças tiveram que acontecer, como o arredondamento da quina da cama,  para garantir conforto e segurança.

o alçapão do conjunto de baterias teve que vir para perto da cama, entre o box do chuveiro e odo WC.

O wc e a cantoneira da cama, que foi arredondada para maior conforto e segurança.

Uma visão da estrutura da cama

Armário da cozinha

Estrutura da mesa/cama.


E a fotografia  mais interessante desta remessa: Visão da porta da garagem à porta de entrada.
Depois de medidos e ajustados, os móveis serão  tratados e recobertos por uma fórmica cinza claro. As paredes receberão toda a estrutura de elétrica e hidráulica para, só depois, serem recoberta por vetro resina. Esta parte é muito importante e está sendo repisada à exaustão. A casa precisa ser agradável, confortável, bonita. Mas, é de extrema importância que seja funcional e segura.




Soneto de Separação

De repente do riso fez-se o pranto Silencioso e branco como a bruma E das bocas úmidas fez-se a espuma E das mãos espalmadas fez-se o es...